Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diario de uma emigrante

Um blog, de auto-ajuda, criado para partilhar a minha experiencia de vida e o meu dia-a-dia. Contado na primeira pessoa, enquanto emigrante, na Republica da Irlanda, desde 2005.



Domingo, 29.06.14

Sentimentos Sao Sentimentos!!!

Querido Diario:

Vou falar baixinho, para que ninguem nos ouca e fazer de conta que ninguem vai ler estas palavras que vou escrever.

 

Mesmo a sentir-me imensamente cansada, sinto-me, na mesma, proporcao abencoada e de coracao cheio.

Os meus amigos aos poucos e poucos, la vao oferecendo, uns minutos dos seus dias, que so tem 24 horas e la me vao deixando uns comentarios aqui e ali, que sempre me vao dando mais alento, para continuar este diario.

E vamos la dar merito a quem o tem, porque cada vez que a minha ''anonima'', partilha alguma coisa no seu facebook, as visualizacoes deste blog, disparam....e claro, que fico toda contente. A parte boa e que sei que nao o faz por nenhum interesse e so o faz, quando realmente gosta do que le, ou quando se identifica com algo que escrevo. O que me deixa feliz, pois sei que nao o faz por ser minha amiga, mas apenas quando gosta.

E nao adianta fazer falsas modestias...claro que fico contente!

Mas quando vejo que a cada post, neste diario, o numero de pessoas sobe cada vez, mais....fico feliz!

Claro que sei as minhas limitacoes.

Claro que sei que escrevo com erros e sem acentos, etc.

Mas o que percebo e que as pessoas, que leem, os meus desabafos, encontram a tal validacao que eu falo tantas vezes. 

Ja nem falo dos meus amigos, mas dos amigos e dos amigos, dos amigos deles.

Eu sou apenas uma emigrante, que resolveu comecar a escrever um diario e falar de um pouco de tudo e muito de nada.

E que vou dando por mim a receber mensagens privadas, publicas e emails de pessoas que nao conheco de lado nenhum.

E ha duas coisas que vou ouvindo com alguma frequencia, estas ultimas semanas, de pessoas que nem sequer sabem da existencia umas das outras. Em primeiro lugar, tem-me dito que eu devia seguir Psicologia e em segundo, que mesmo ao longe, eu as ajudo mais, do que eu propria possa imaginar.

O meu coracao enche-se de alegria, de contentamento, de orgulho de mim e das minhas escolhas.

Nao e facil eu escrever isto de mim propria.

Quem me conhece, sabe disso.

Mas como tenho dito, estou a mudar, e esta mudanca, passa por assumir em voz alta, os meus sentimentos.

O que sentimos nao podemos mudar!

Sentimos e prontos!!!

Ensinam-nos a ter vergonha do que sentimos e dizemos, desde criancas.

Desde demasiadamente cedo!

E ao tentarmos esconder os sentimentos e que acabamos por criar, os ''bichinhos no sotao''.

Quantas vezes ja nao ouvimos de adultos frases como:

''-Nao se diz isso!!!''

Uiiiiiiiiiiiii tantas!

Quando dizemos o que sentimos e ou pensamos, aquando criancas, essa frase e dita e repetida, vezes sem conta.

Com o tempo acredito que acabamos por ficar presos nos nossos proprios sentimentos.

Ensinam-nos a faze-lo, como a comer sentados a mesa.

Vejo adultos a mentirem as criancas e depois a entrarem em choque ''termico'' quando os seus pupilos, aprendem a licao com a mesma rapidez, com que a comecam a colocar em pratica e a....mentirem, tambem.

Depois la vem a frase tipica:

''-Isso nao se faz!''- com um tom de voz, por si so de condenacao.

''-E muito feio mentir!'' ou ainda pior ''-Es feio, assim, seu mentiroso!''

Como nao sabem mais, nem melhor, acabo por ficar com pena de pais e criancas.

Lembro-me que tambem eu, por mais que leia sobre a esta profissao de ''ser pais'' (sem nunca ter estudado para tal ou ter ido a escola, para aprender a se-lo) acabo por fazer asneiras por ignorancia e claro que ha dias em que o cansaco...vence, e me torno negligente.

Podem nao ser com estes temas, mas serao com outros, certamente.

Mas a verdade, e que nesses entretantos, acaba-se por confundir as nossas criancas.

As suas cabecinhas pensadoras, nao entendem la muito bem, como e que os pais lhes dizem para nao mentir, mas depois, mentem-lhes com quantos dentes tem na boca.

Ou entao sao oprimidas, quando falam sobre aquilo que sentem e pensam.

Sao praticamente condenadas por sentir e pensar.

Ao admitirem e falarem sobre o que sentem e pensam, sofrerao sobre uma pena de condenacao, muitas vezes, social.

Comecam a ter vergonha de sentir as coisas e de as dizer.

Comecam a esconder e claro....onde e que se esconde algo que nao se quer que os outros vejam???

''-No sotao, claro!!!''

E la volto eu aos ''macaquinhos no sotao'', que todos temos, em mais ou menos numero.

IHIHIHIHIHIHIHI

Beijinhos de Mim

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 23:36


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2014

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930