Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diario de uma emigrante

Um blog, de auto-ajuda, criado para partilhar a minha experiencia de vida e o meu dia-a-dia. Contado na primeira pessoa, enquanto emigrante, na Republica da Irlanda, desde 2005.



Sábado, 26.07.14

O ALCOOL....

Sinto-me perigosamente vulnerável!!!

Tenho-me visto numa luta interna.

Entre tentar aproveitar cada dia e manter a calma e a serenidade, tanto quanto possível, e o facto de saber que vens já para a semana.

Se eu disser assim, parece que nao tenho que esperar ainda mais 8 dias.

Meu Deus!!!!

Mais 8 dias!!!

Sei que vão passar a voar. Tenho tanta coisa para fazer.

Mas gostava de estalar os dedos e ja estares aqui.

Sinto-me apesar de tudo, cansada.

Sinto-me mais segura de mim.

Mais confiante e ate mais bonita.

Já percebeste isso.

Sabes-me melhor que eu própria e sabes-me como ninguém.

Quando te disse que fui as compras, percebeste-me logo.

Sabes que, raramente, vou as compras para mim.

Sabes que vou as compras para mim, quando não estou assim, tão segura de mim, quanto quero acreditar ou parecer.

Mas olha, fui sozinha e adorei cada segundo desse sossego.

Comprei ROUPA PARA MIM!

Sim....para mim!

E sem remorsos!

Esta semana estou a cuidar de mim, também.

Fui arranjar os pes, as unhas e o cabelo.

Comprei uma lingerie nova.

Ate porque o nosso aniversario, esta ai a chegar.

De qualquer das formas a minha confiança esta a melhorar a olhos vistos.

Não consigo viver mais como ate agora o tenho feito.

Ou seja, a colocar tudo e todos a minha frente.

Não posso!!!

Acabou!!!

Não me importa dos que ainda não perceberam que cada um tem mesmo, que se colocar, em primeiro lugar, sem por isso fazer de si egoísta.

Neste momento estou-me borrifando para qualquer tipo de julgamento.

Neste momento nem sequer tenho a mínima paciência, para esse tipo de pessoas.

Juro que não!!!

Sabes, não tinha reparado que tenho uma ferida e sem eu perceber caiu-me álcool em cima.

Bolassssssssssssssss.

Meu Deus!!! Como dói!

Estou a gritar com as dores, ao mesmo tempo que o álcool esta a fazer o seu trabalho, a curar.

Afinal a ferida estava exposta, e dói como um raio.

Ouves-me?

Os berros que possas ouvir, são só uma amostra, da dor que o álcool esta a provocar.

Já aprendi a conter-me...acho.

Afinal eu sou a que ajudo a limpar as feridas dos outros.

Mas tu não estas aqui e desta vez, vou ter de ser eu sozinha a limpar a ferida.

Não estou muito habituada a isso, mas o facto de saber que vou ter de ser eu sozinha, está-me a causar uma sensação de bem estar e confiança extra.

Porque eu Sinto que vou conseguir.

E acima de tudo, SOZINHA.

Estou-me já meio a rir, meio ainda a chorar, como as crianças que tem medo do álcool, nas feridas dos joelhos.

As crianças também tem mais medo da dor, do que outra coisa qualquer.

Medo que doía muito... e sofrem por antecipação.

Pois...o Medo!!!

O Medo... este sentimento e um malvado!!!

Quero retirar esta palavra da minha vida o mais que puder.

Quero enfrentar os meus medos. Todos eles.

Olha ontem fui tomar café ao parque, ao Jorge, como tenho feito todos os dias desta semana.

Não pedi nenhum álcool, mas acabou por me vir fazer companhia, uma Super Bock, que me soube tão bem.

Por momentos ate me esqueci da ferida.

Mas houve outros momentos, que mesmo sem querer comecei a mexer nela e vi que ainda me dói.

Mas isto vai passar, como tudo passa na vida.

Ah, já me esquecia, acabou-me o Whiskey, imagina...

kakakakakakakkakakakaka

Beijinhos de Mim

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:05


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031