Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diario de uma emigrante

Um blog, de auto-ajuda, criado para partilhar a minha experiencia de vida e o meu dia-a-dia. Contado na primeira pessoa, enquanto emigrante, na Republica da Irlanda, desde 2005.



Terça-feira, 10.09.13

Chegamos...ha 8 anos!

Faz, hoje, 8 anos, que chegamos, a Republica da Irlanda.

Chegamos de Ferry, pois viemos de  carro. O ''bolinhas'' verde, o Fiat Punto. Uma maquina de guerra, que era e sao estes carros.

Saimos, da Maia, a 7 de Setembro de 2005, pelas 23 horas.

Paramos, a primeira vez, nos Pirineus, as 8 horas da manha. Dormimos 2 horas no carro, numa estacao de servico.

Pareceu-nos ser mais seguro, desta forma.

Seguimos viagem e atravessamos toda a Franca.

Ao meio da tarde, paramos, para esticarmos as pernas e irmos a casa de banho. Nao me lembro de ter parado mais do que estas duas vezes, ate entao. Se calhar ate paramos, mas nao tenho ideia disso.

Lembro-me de ir ligando aos meus pais e ao meu primo, que tinha estado connosco, no dia D. Lembro-me de ele dizer, em tom de graca e bem disposto, como sempre, que o tinhamos enganado. Que afinal tinhamos levado um Ferrari e nao o nosso ''Bolinhas''. ihihihihih

Tornamos a parar na hora do jantar. Tinhamos levado o tipico farnel. Com direito a bolinhos de bacalhau e rissois. Desta vez, demoramos mais um pouco.

Era o cansaco a chegar.

Os ultimos 200 km, ate Roscoff, foram dificilimos para ambos de fazer.

Paravamos a cada 20 minutos. As dores nas costas e nas pernas e o sono estavam a apoderar-se literalmente de ambos.

Eu nao conduzi. So o maridao. Eu era a co-pilota, com o mapa de estradas no colo. Esquecam o GPS. Nao tinhamos poderio economico, para isso. Era um luxo, para nos, ha 8 oito anos.

Creio que chegamos, finalmente a Roscoff, por volta da meia noite. Nao estou bem certa. So me lembro de pensar que aqueles ultimos kilometros, estavam a custar mais, do que o resto da viagem inteira. Ja tinhamos atravessado Portugal, toda a Espanha e tinhamos acabado de atravessar toda a Franca.

Roscoff fica bem no norte de Franca.

O ferry, para a Irlanda era, no dia seguinte, 9 de Setembro. A travessia era de 14 horas.

Se acontecesse algum imprevisto, com o carro, tinhamos que ter margem de manobra, para outra solucao.

Perder o ferry e que nao...

Dormimos ja no parque de estacionamento do Ferry.

Na manha seguinte, fomos confirmar se a reserva que tinhamos feito pela internet, estava confirmada. Nao estava. Algo tinha acontecido, mas nos ja desconfiavamos. Pagamos, entao, um bilhete para um quarto, o carro e nos dois. Era o unico dinheiro que tinhamos no banco. Tinhamos trazido connosco, 150 euros.

Era tudo o que tinhamos. Nem mais nem menos.

Entramos, na Irlanda, com muito menos de 150 euros no bolso.

Ja tinhamos gasto em gasolina, portagens e uma garrafa de agua. Em Roscoff, tinhamos comprado dois croissants e duas meias de leite, para o pequeno almoco. Foi um miminho com que resolvemos nos presentear.

As lagrimas da despedida do J.P. ainda iam caindo, aqui e ali.

O nervosismo do desconhecido, tambem nao ajudava.

Ao fim da tarde, por volta das 17 horas, comecamos entao a pensar, em descer, para perto do Ferry. Ja tinhamos assistido ao funcionamento da partida de alguns. Percebemos que faziam filas, para tomarem a vez de entrada. Foi optimo, termos percebido essa mecanica.

O Ferry so partia as 20 horas. Mas ja sabiamos, que era tempo de nos colocarmos em fila de entrada. Fomos dos primeiros 20. Mas ha prioridades de entrada, como e o caso, das motas, por exemplo. Os camioes e as auto-caravanas tem a vez deles tambem. 

O nervosismo passou a tomar conta de nos. Por meses e meses, com apenas, momentos de descontraccao.

As 10/11 horas da manha do dia 10 de Setembro de 2005, chegamos, finalmente, a Irlanda.

Tinhamos a nossa espera, dois familiares, que ja ca estavam, ha dois anos.

Ajudaram-nos imenso, numa primeira fase, de normal adaptacao.

Estou-lhes profundamente grata por isso.

Era um Sabado. Segunda-feira fomos as entrevistas de trabalho, com a tal agencia de emprego. Havia trabalho para nos, como ja disse aqui, anteriormente, porem se o patrao da agencia, nao achasse que tinhamos um ingles minimo, nao nos contratava, para os ''nossos'' trabalhos prometidos. Havia esse risco, essa pressao, sobre nos.

Passamos. Conseguimos passar a primeira fase!

Fomos, de seguida, tirar os numeros de contribuinte e abrir uma conta no banco.

Sempre acompanhados com um familiar. Levava-nos e levou-nos onde era necessario. Foi muito bom poder ter esse apoio.

Quarta-feira ja estava a trabalhar.

E ja passaram 8 anos.....

Beijinhos de Mim.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 15:15

Sábado, 07.09.13

O meu dia D.

O meu dia D., podia referir-se a muita coisa.

Refere-se ao meu dia da Despedida.

Mais uma vez... nao ha coincidencias!

Hoje, ao final de meses, se nao mesmo ja um ano, um familiar meu, muitissimo querido, aceitou a minha amizade no facebook. 

Estava na minha mesa de jantar, naquele que estava a ser, o jantar de Despedida.

Estava na minha casa, na minha mesa de jantar.

Lembro-me de ter feitos as malas, so com roupa pratica e versatil. Pouca coisa.

Afinal vinhamos para trabalhar.

Eu, por tempo indeterminado. O maridao, por apenas, 3 semanas.

Passados 8 anos, eu consegui o meu sonho. Ter 3 filhos e ser mae a tempo inteiro.

O maridao comecou, num armazem, que, por coincidencia, era a sua area.

Comecou, como um funcionario, temporario de armazem. Apenas, para nessas tais 3 semanas, de muito trabalho, ajudar, os outros funcionarios, que ja la trabalhavam. Depois acabava.

Foi, o que ele, sempre foi, bom trabalhador.

Foi, o que a meu ver, ele nunca tinha sido- audaz! 

Perguntou ao chefe se a empresa iria precisar de alguem. 

Acredito, cada vez mais, na minha vida, que a sorte premeia os que tem a audacia de nao desistirem!!!

Eles precisaram.

Continuou a trabalhar, na mesma empresa, sempre atraves de uma agencia de trabalho, como eu tambem estava.

No ano seguinte, a 21 de Agosto (que coincidencia, ou nao...nos anos da minha mae!) a oportunidade surgiu e ele agarrou-a. Contra todas as probabilidades, concorreu e passou a Chefe de Armazem, ou, como aqui se intitula ''Team Leader''. Ja , entao, com contrato pela empresa.

Eu, um ano e meio depois, concorri ao Departamento da Qualidade, da minha empresa e consegui a promocao. Fui a primeira estrangeira a entrar para o Departamento da Qualidade, de uma grande empresa multinacional, no ramo da farmaceutica. Ate ai tinha estado na producao de agulhas para cirurgias.

Ha 2 anos e meio despedi-me.

O maridao foi promovido a ''Manager de Armazem'' no inicio deste ano.

Ao final de dois anos aqui na Irlanda, compramos uma moradia de res-do-chao e primeiro andar, com um pequeno jardim na frente e outro nas traseiras da casa. Ao pe da praia, da nossa praia (como lhe chamamos).

Mantemos, ate hoje, o nosso pequeno apartamento, com o meu apaixonado terraco, na Maia.

Tivemos que dar o Oscar (o nosso cao), mas, ja fez 4 anos, que fomos buscar o Mozart, o nosso Labrador.

Viemos com o nosso ''bolinhas verde'', o Fiat Punto.

Hoje temos uma ''bolinhas azul'' para o maridao fazer 88 km todos os dias e o minha Megane, o nosso carro familiar.

Hoje em vez de um, temos 3 filhos. O Joao com 14 anos, o Tomas com 3 e o Rafael com 18 meses.

Hoje temos um filho enterrado na Irlanda e outro em Portugal.

Hoje temos o que sempre desejamos, nos nossos mais intimos e loucos sonhos.

Hoje preferimos viver com menos e semos mais!!!

Hoje nao temos amigos na Irlanda.

Hoje a nossa familia de sangue e de coracao esta, quase, toda em Portugal.

Hoje vamos tendo os amigos mais proximo, devido a esta coisa que se chama ''Facebook''.

Aprendi que afinal, so estou a distancia de um clique...dos meus amigos e da minha familia.

Hoje faz 8 anos que nos Despedimos de Portugal e de uma vida inteira, tal como a conheciamos, ate entao.

Hoje faz 8 anos que deixamos o Joao Pedro com 6 aninhos, na altura, aos cuidados dos avos maternos.

Lembro-me desse momento melhor que tudo o resto.

Lembro-me dos berros dele, a implorar para nao irmos embora. Para nao o deixarmos.

Lembro-me de estar sentado, numa cadeira enorme, para o seu tamanho, era a cadeira de escritorio.

Os seus pezitos, ainda nao chegavam ao chao. A cadeira parecia tao grande,  que tornava-o, aos meus olhos, ainda mais pequenino e indefeso.

O meu menino!

''O mae, por favor, nao vas!!!''- berrava em pleno desespero. Como se isso, desta vez, fosse ou pudesse mudar alguma coisa.

O meu coracao, apertava como nunca. Ainda agora ao tentar descrever, pela primeira vez, em 8 anos, o que senti, as lagrimas correrm-me pela cara abaixo e o coracao e o peito apertam.

Ele nao me deu um beijo de despedida. Eu beijeio-o e virei costas. Nao aguentei mais os berros. Nao consegui acalma-lo. Nem me lembro se tentei. So me lembro de pensar que se o abracasse, nao iria mais sair dali. Nunca mais. E eu tinha de ser forte. Uma vez mais... por todos. Os meus pais assistiam aquela cena. Parecia ter sido tirada de um filme da vida real de alguem. Mas nao. Estava mesmo a acontecer.

O maridao tambem nao conseguiu ouvir os berros, acabando, assim, por nem se despedir dele.

Acho que sentiu o mesmo que eu...

Se tivesse ficado, nao teria conseguido partir.

Foi a guiar ate Vila Real, sem dizer uma unica palavra. A unica coisa que quebrava o silencio daquela viagem, dentro daquele carro, era o seu solucar.

So voltamos a ver, o nosso bebe de 6 aninhos, no dia 23 de Dezembro, desse ano.

Mais de 3 meses depois.

Perdemos o seu primeiro dia de aulas, em Portugal.

Demos-lhe um novo, aqui na Irlanda.

Ganhamos ou tentamos ganhar uma vida nova.

Se estamos arrependidos????

Nao!!! Estamos gratos!!!

Muito e imensamente gratos, por termos conseguido chegar ate aqui.

Da forma como conseguimos, mesmo com alguns precalcos penosos, pelo meio.

Estou orgulhosa de nos 5 como familia.

Porque estamos sempre aqui uns para os outros, como uma verdadeira e feliz familia.

Obrigada aos meus amigos e a minha familia. Por estarem ai, quando e sempre que precisamos de vos.

E claro...

Obrigada meu Deus!!!

 

PS. Nao posso deixar de referir que trabalhamos ambos muitissimo.

O maridao ainda tem dias que trabalha 14 e 16 horas seguidas. Chegou a trabalhar 21 horas seguidas.

Eu lembro-me de ter chagado a trabalhar 21 dias seguidos, 12 horas por dia. Ao 21 dia, ja nao andava, arrastava-me!!!

Beijinhos de MIM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 15:34

Sexta-feira, 06.09.13

A Vodafone...

Estava a sair do Norteshopping, quando o meu telemovel tocou.

Eram uma coisa de 16 horas, do dia 06 de Setembro de 2005.

Era um familiar meu que estava na Irlanda.

Perguntou-me, entao, se eu queria ir trabalhar, por tempo indeterminado, para a Irlanda. Podia ser,  por muito ou pouco tempo, mas tenho a ideia que falou em 3 meses, inicialmente. Nao consigo precisar.

Estava sem trabalho e estava a entregar curriculos, em tudo o que era lugar. Dai estar a sair do Norteshopping.

Ha alguns meses que a questao de emigrar se tinha levantado.

O maridao tinha perdido o emprego e o fundo de desemprego, em breve acabaria.

Por muito que se esforcasse, nao conseguia encontrar nada. Ou, imagine-se, porque ja tinha 30 anos; ou, porque lhe davam o mesmo do que estava a ganhar pelo fundo de desemprego.

O problema, ja velhinho portugues, que todos nos conhecemos, na primeira ou na treceira pessoa. Nada de novo.

Bolas!!! Precisava do ordenado dele. Mas a verdade e que se a receber o ordenado minino, ainda assim lhe tirava o custo do transporte, e a disponibilidade de estar em casa e me ir adiantando os banhos do J.P., o jantar, as limpezas da casa...EU era a primeira a dizer- Nao!!!

Ja tinha alguns anos de experiencia de armazem e queriam pagar-lhe como se nao tivesse qualquer experiencia de armazem.

Acho que fomos dos primeiros a sentir a crise.

Hoje em dia, olho para traz e digo, ainda bem.

Eu tinha-me despedido.

Era gerente de uma loja. Alias, quando me despedi, na verdade era gerente de duas.

Nao vou aqui mencionar o nome. Mas os meus amigos sabem qual e...

No ano anterior, tinha recebido um convite, para ir com o patrao, que estava a representar a marca, em Portugal, a Espanha. Tinha ganho o privilegio de poder assistir, a coleccao de Outono e Inverno, do ano seguinte. Era muito boa no que fazia. Quem me conhece e especialmente quem trabalhou comigo, sabe que e verdade.

Com a entrada de novos elementos para a empresa, acabei por ter uma nova chefe.

Nao e novidade, nem mentira, que e obvio o que aconteceu. Eu sabia mais do que ela, muito mais, a expeirencia falava mais alto.

Ja tinha passado por varias lojas. Ja tinha ido ajudar noutras lojas. Ja tinha visto e ouvido muita coisa.

Mas acima de tudo tinha tido uma excelente professora. A minha chefe. Alias, ex-chefe.

E sim, sem falsas modestias, eu tambem era uma aluna aplicada e atenta. Muito atenta. Uma aluna que tinha paixao pelo que fazia e tranparecia isso, para todos. Juntem a isso a minha mania de perfeicao.

Estava a ser roubada por funcionarias, so nao sabia por qual. Tinha as minhas suspeitas, mas nao passavam disso mesmo, suspeitas. Quem e chefe sabe algumas leis subjacentes a profissao. Nao pomos a mao no fogo por ninguem, mesmo que nao acreditemos que fulana x fosse capaz de roubar, nao o podemos dizer. Temos que tratar todos por igual.

A minha nova chefe era nova. Nao percebia da mecanica da loja e do funcionamento global. Nao entendia como e que eu com duas lojas, sabia exatamente o artigo, que me faltava. Percebi muito cedo, que foi isso que lhe fez confusao.

Fui ingenua. Havia um livrinho, escondido do patrao, obviamente, que colavamos as etiquetas das pecas que levavamos para nos e pagavamos nos saldos, ou quando nos desse mais jeito. Ate porque algumas pecas nao entravam nos saldos. A minha chefe anterior sabia. Eu como gerente de loja, tambem o fazia e deixava as miudas fazerem, com a minha supervisao.

Nao, nao estava muito correcto. Mas dai a acusarem-me de roubo, vai uma grande diferenca.

A nova chefe, a meu ver, sentindo-se de certa forma ameacada, acusou-me, entao, de roubo, perante os recursos humanos, mesmo, tendo eu ja sido avisada e pago todas as minhas coisas antes da ''bomba explodir''. Os actos dela denunciavam-na. Sabia o que andava a tentar fazer.

No dia em que me acusou de roubo e me disse que os recursos humanos, ja sabiam, liguei a um amigo advogado (estarei-lhe eternamente grata) e disse-lhe a verdade toda. Nao tinha roubado nada, que sim existia esse livrinho, mas que eu inclusive, ja tinha pago tudo o que era meu.

Foi a segunda vez, na minha vida, que estive a um passo, de bater em alguem.

Finalmente, tinha passado de bestial a besta! Ouvira a minha anterior chefe, tantas e tantas vezes, a dizer que naquela empresa, um dia era-se bestial e no outro besta. Tinha chegado o meu dia.

Liguei aos recursos humanos.

Despedi-me no mesmo dia!!! Porque???

Tinha um marido desempregado, um filho para criar, uma casa para pagar ao banco e uma divida de uma loja que tinha tido. Mas tudo o que sabia e que se naquele momento, aquela empresa que ate ali me tinha em consideracao, deixou de ter, sem sequer me ter perguntado, absolutamente nada.

Ha coisas que aprendemos muito bem, e a minha mae, tambem, ela, foi uma grande professora.

Roubar...nunca!!! Rezemos para nunca ter de pedir....

Ainda hoje e um dos lemas da minha vida. E orgulho-me muito disso.

A minha honra em primeiro lugar....

Hoje em dia agradeco a essa empresa e a Vodafone (uma piada!!!)...ihihihihih

OBRIGADA....POR ME TEREM EMPURRADO PARA A IRLANDA!!!

Muito, muito obrigada.

Ah....ja me esquecia, a minha chefe, pouco tempo depois, foi recambiada para Lisboa e depois tambem acabou por ir embora....

Eu nao precisei de lhe bater...Deus tratou de lhe dar um ensinamento, seja la ele qual tenha sido.

Beijinhos de Mim

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:53

Quinta-feira, 05.09.13

O Puzzle!

Passei quinze dias das minhas ferias, em Armacao de Pera, no Algarve.

Conheci uma Familia Especial.

Ou melhor dizendo, outra familia, igualmente, especial.

''Somos Maes Especiais''-disse-me essa mae, sempre com um sorriso, meio envergonhado.

Havia milhares de pessoas que se poderiam ter cruzado, no nosso caminho. Mas nao, foi esta familia.

Detentora de um Tesouro Unico.

O Goncalo!

Um menino Especial.

Um Tesouro de menino.

Com um sorriso, sempre no rosto.

Ou quase sempre.

Lembro-me de o ter visto a chorar, uma vez.

Lembro-me de nesse dia, eu ter ficado com o coracao apertadinho.

A mae estava em lagrimas, muito controladas. E para dizer a verdade eu tambem.

Ele e que estava inconsolavel.

Os amiguinhos deles tinham ido embora. Pudera, como eu o compreendi.

Tambem eu fico em lagrimas, com a falta dos meus amigos, tantas e tantas vezes.

Nao foi preciso muito, para o conseguirmos alegrar, um pouquinho.

Fomos para a beira da agua, como faziamos muitas vezes, todas as manhas.

Confesso que o meu momento favorito, aquele com que eu me deliciava, enquanto ser humano, assistir, era aquele, em que ele tomava banho.

Havia uma parte do dia, em que ele ia ao banho com a mae, mas julgo que nao estou errada se disser, que a maior parte das vezes, era com o pai.

Esse momento com o pai, era o meu favorito.

Era como se a praia parasse, naquele preciso momento, e eu ficasse a assistir, ao mais belo bailado, entre pai e filho.

Em plena agua do mar, bem debaixo de um lindo dia de sol. Bem ali a minha frente.

E eu assistindo da primeira fila. Com o privilegio de conhecer ambos os protagonistas.

Que sorte a minha.

Absolutamente avassalador.

Uma cumplicidade que me fazia arrepiar.

Sempre que penso neles, e Deus sabe que sao tantas, penso naquele bailado entre pai e filho. E penso naquela mae.

Nao foi por mero acaso que tive o privilegio de os conhecer.

Foram e sao continuamente uma fonte de inspiracao.

Tanto quanto sei nao tem nenhuma pagina do facebook, criada para angariar fundos, com o intuito de melhorar, a qualidade de vida do Goncalo.

(Felizmente ou infelizmente e o que mais vemos, quem anda pelas bandas do facebook.)

Se calhar e porque nao precisam. Se calhar e porque o Goncalo tem tudo o que precisa.

Muito, Muito AMOR.

Um Amor e uma cumplicidade entre os 3, como jamais, eu tinha assistido antes, na minha vida.

Ensinaram-me TANTO. Sem nunca sequer suspeitarem que o estavam a fazer.

As vezes, perguntava-me (continuo a perguntar), se nao seriam apenas os meus olhos. Mas o meu coracao faz-me sentir que nao, sempre que a duvida se levanta.

Quando tenho dias mais dificeis com o J.P., lembro-me deles.

Na paz e na serenidade que eles tinham em si, e nos seus coracoes.

Na serenidade e na humildade com que falavam com e do Goncalo.

Sobretudo a mae.

Confesso que nao tive muita convivencia com o pai. Com muita pena.

Viemos embora sem nos despedirmos ou trocarmos emails, moradas, telefones, nada. Absolutamente nada.

Foram obstaculos, que a vida, nos ultimos 2 dias, nos colocou. Fez com que nao tivesse tido essa oportunidade.

Fiquei muito triste. Mas e porque Deus assim queria, pensei. E aceitei.

Ate que um dia, vejo um pedido de amizade no meu facebook....da mae.

Como e que me encontrou, se tantas outras colegas ja tinham tentado, e nao tinham conseguido, apenas pelo nome?

Nao tinhamos nada em comum.

Depois a mae disse-me.

A Mimi!!!

O J.P. tinha-lhe dito, no dia em que eu fui visitar a Mimi, onde tinha ido. E o porque da minha ausencia, naquele dia, na praia.

Mais uma vez, a Mimi tinha-me dado o dobro, do que eu lhe tinha dado.

A sua existencia na minha vida, permitiu eu reatar lacos de amizade, com uma familia, que eu pensava ja ter perdido, o rasto, para sempre.

A mae consegui chegar a mim, pela pagina da Mimi.

Defenitivamente, a cada dia que passa, tenho provas e certezas, de que o mundo esta todo interligado, como pecas de um unico e gigantesco, puzzle.

Ainda que algumas pecas, estejam distantes, umas das outras.

Todas fazem parte do mesmo puzzle.

Acredito que todos somos especiais e unicos. Tal como cada peca do puzzle.

Cada uma diferente, mas que sem aquela peca especial e unica, o puzzle, nao estaria, nunca, completo.

Um beijinho de Mim.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 13:27

Quarta-feira, 04.09.13

''SUPER 6''

OK!

Vamos a isto...

Ja ando a adiar o post de hoje, ha varias semanas.

Revolta-me pensar, no fundo da questao, mas confesso, que sem eles, as coisas ca em casa, seriam um pouco complicadas.

Estou a falar das promocoes.

Estou a falar das promocoes bombasticas nos supermercados.

Temos aqui um supermercado que nunca tinha ouvido falar, em Portugal. O Aldi. Demorei, muito tempo, a ser cliente do Aldi, por falta de alguem, que me fosse aconselhando alguns produtos. Que me fosse dando umas dicas.

Ate que a minha melhor amiga, na Irlanda ( que infelizmente para mim, mas felizmente para ela, ja foi embora de vez) me comecou a fornecer essas dicas e explicar, um pouco a dinamica do Aldi.

Durante uma quinzena, colocam 6 produtos a precos muito bons, as vezes excelentes, ate.

Note-se que estou a falar para a realidade da Irlanda e nao para a realidade portuguesa.

Na quinzena seguinte, mudam os produtos. 

Sao sempre frutas e, ou legumes.

Chamam-lhe o ''Super 6''!

Estou a falar de precos e produtos, que muitas vezes, penso que podiam matar a fome a muita gente. A muitas criancas.

Este fim de semana foi para Armazenar produtos.

Tenho um arca frigorifica, para isso mesmo.

Se um dia pensarem em comprar uma, nao aconselho como a minha, de gavetas. E certo que estao as coisas mais arrumadas, mas tambem e certo, que as gavetas, tendem a partir com o uso e reduzem mais o espaco total da capacidade, da arca congeladora.

Ja fiz as contas. Percebi que sim, que me compensava ter uma arca congeladora, de categoria A.

Como na Ilha e frio quase sempre, tenho la fora no jardim, uma casinha de madeira que uso tambem de despensa, bem como, de apoio ao armazenamento de frutas e legumes.

Mas eu explico melhor.

Se pensarem que o preco de um saquinho de macas ronda 1,50 euros, e, nestas promocoes, adquiro o mesmo saquinho, por 0,69 euros, julgo que ja ficaram com a ideia, do que pretendo transmitir. Compro, varios quilos, acabando assim, por poupar na alimentacao.

Agora imaginem quando os precos descem aos 0,29 euros.

Lembro-me de no ano passado, no fim de semana, anterior ao Natal, os precos foram aos 0,07 euros. Nao, nao me enganei....0,07 euros!!!

Trouxe uma caixa com 10 meloes, uma caixa com 10 abacaxis, 10 kilos de batatas (tive medo que nao fossem boas, e foram as melhores batatas que ja comi na Irlanda!), 10 kilos de tangerinas.....lembro-me que o maridao pagou 5 euros e trouxe a mala cheia.

Esta semana foram, entao, as bananas, as macas, as peras e  os tomates, o que precisei para armazenar. Estavam a 0,69 euros. O saco, que rondam as 750gr.

A parte boa disto e que aqui na ilha, ha uma verdadeira concorrencia nos precos. Seja nos produtos, seja na gasolina.

Desta forma, outros supermercados como o Lidl e o Tesco (tipo continente ou jumbo) lhe seguiram. O que e optimo, para nos, consumidores. Para mim....pelo menos e!

Comemos muita fruta ca em casa.

O maridao leva entre 4 a 6 pecas de fruta por dia, para o emprego.

Os meninos tambem comem muito bem 2 a 3 pecas cada um.

Levou tempo com o J.P., mas agora pelo menos, uma ou duas pecas de fruta, por dia, obrigo-o a comer. E acreditem ou nao, ja nem reclama muito. Hoje em dia, o reclamar dele ja e mais, para me informar, que ja comeu uma peca de fruta, na tentativa de eu nao o obrigar a comer a segunda.ihihihih

Mas quem tem um filho na adolescencia e que esta sempre esfomeado, sabe que e mais saudavel uma peca de fruta que bolachas ou semelhante.

Permito as pipocas caseiras. Afinal, o milho e saudavel. E vamos ser coerentes, quanto ao acucar, fica mais quantidade no fundo da taca, que nas proprias pipocas.

Esta semana armazenei ainda do Tesco, vagens bebe (saquinhos pequenos), tomates pequeninos (cubetes pequenas), malaguetas (saquinhos pequenos), couve coracao, cenouras e cherivias (cubetes) a 0,29 euros. Os sacos de kilo, das cebolas a 0,39 euros, ao inves dos 0,79 euros normais. Ja estao penduradas!

Se eu nao fizesse assim, nao imagino como seria.

Adorei a frase de uma colega que me relembrou, que o engenho aguca a arte.

Ainda ontem pus-me a fazer contas de cabeca. Acreditem.

O J.P. tinha-me pedido para mudar de leite. Usava o magro, mas um dia estava esgotado e la acabei por trazer do meio gordo. Ele adorou. Pediu-me imenso para comecar a comprar daquele. ''Mae, por favor, a diferenca nao e muita, na gordura...e ate e mais barato 0,10 euros por litro.'' Acabei por ceder. Estar a comprar diferentes tipos de leite, nao me agradava muito. E como quero brevemente introduzir o leite de soja para os bebes...cedi.

Para quem gasta 19 litros de leite por semana... Significa uma poupanca semanal de quase 2 euros. Se colocarmos 2 euros vezes 52 semanas, por ano, estou a poupar 104 euros por ano. SO em leite!!!

Depois do desastre orcamental deste mes, estava mesmo a precisar, de umas ajudas assim.

Beijinhos de Mim

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:36

Terça-feira, 03.09.13

Felicidade... a quanto obrigas!!!

Vamos la assumir e colocar a mao no ar...quem nunca o fez.

A nossa amiga, prima, vizinha, tia, teve um bebe.

Veio para casa da maternidade ou do hospital. Chegou a algumas horas e ja estamos nos, mulheres, em casa dela, certo?

So percemos a falta de oportunidade, quando formos maes, ou as vezes, nem assim.

Claro que depende de quem visita e quem e visitado.

Mas o que quero partilhar, convosco, hoje, e bem mais profundo, e vai para alem disso.

Quantas perguntas fazemos sobre o bebe?

Imensas, certo?

Quantas perguntas fazemos sobre a mae?

Va la....pensem...poucas!

Perguntamos coisas como ''Entao como foi?'' ou ''E depois?'' ou ''A serio?'' e ''Quanto pesa?'' e ''Quanto mede?'' e '' Dorme bem?''...............

Quantas de nos ja foi mae, e quantas caimos na mesma armadilha?

Naquela armadilha, de continuar a perguntar, as mesmas perguntas, tolas.

Quando e que vamos comecar a perguntar, sobre como se esta a SENTIR a mae e o bebe...

Cada vez mais as maes tem depressoes, pos-parto.

De certa forma, sinto que todas, temos a nossa parte de responsabilidade.

Muitas vezes, esquecemo-nos de perguntar a nossa amiga, coisas tao simples, como, se tem dormido bem. Tao simples como isto.

O tom da resposta e igualmente um INDICADOR importante.

Veio um sim com alegria e conviccao ou a medo? Esse, pormenor, pode ser revelador de algo mais.

Todos querem saber do bebe, nos primeiros dias.

Mas quando a rotina se instala as coisas podem ficar piores. Ou podem comecar a piorar.

O marido volta ao trabalho.

A nossa amiga ve-se, sozinha, com um bebe dentro de quatro paredes.

Todos voltam as suas vidas. Mas a da nossa amiga agora e diferente. Completamente diferente.

Deu uma volta de 180 graus. As suas rotinas ja nao sao as mesmas rotinas. E o bebe chora de dores ou fome.

Mas o bebe chora e antes nao chorava.

Antes tinha tempo para tomar banho e ir ao cafe. Tinha tempo para as amigas e ir passear.

Agora com o bebe, a tralha, e tanta, que a vontade de sair de casa, e devorada, pela ideia de ter de'' fazer-lhe as malas'' ... so para ir ao cafe.

Acaba-se muitas vezes por nem ir.

Ou, tambem, porque esta muito calor ou muito frio, e nem um, nem outro, sao bons para o bebe.

Novamente metida em casa.

E tudo isto sem sequer ainda ter saido.

Ate ao dia da vacina ou da consulta medica. Porque ai tem-se que ir! Qual mae qual que....e para o bebe, tem-se de ir!

E, nesse momento, nao interessa se esta muito frio ou muito calor. O bebe sai de casa. A mae sai de casa.

Existe aquela mae, que se arranja, como se fosse tomar cafe, com as amigas, porque, finalmente, vai sair de casa. E a outra mae...a que vai mesmo em fato de treino, ja que o que SO importa...e o bebe! Ela ja nao conta. Ela ja nao importa. Porque todos lhe fizeram questao de lhe perguntar SO pelo bebe. Porque ela nao importa. Ela ja nao importa.

Mas, esperem, mais um pouco.

Vamos ver, se assistimos da primeira bancada, aquela outra, mae, que saiu toda arranjada. Nao estara SO, a tentar dizer com suas vestes, que, afinal, ela tambem conta.

Quer lhe perguntem ou nao, de como ela esta.

Provavelmente vai demorar mais tempo, ate os outros (os familiares e amigos) se apreceberem, que afinal, algo nao esta bem.

Ela esta toda bonita e contente!

Claro que esta contente...ela teve o seu bebe.

Neste momento, pergunto, se o facto de ter realizado, o seu sonho, sera por natureza, impeditivo de ser uma tarefa, ainda assim, ardua e manhosamente dificil, esta a de ser mae.

Lembram-se do nosso alpinista, que para realizar o seu sonho acabou por ter que ver, a posteriori, membros amputados?

Mas, onde fomos todos, buscar a ideia de que, concretizar sonhos e ficar feliz, significa, nao sofrer fisica e psicologicamente?

Ja nao bastava o limpar o po a casa, aspirar a casa, limpar os WC, limpar os chaos dos WC, limpar os moveis da cozinha, varrer o chao da cozinha, limpar o chao da cozinha, planear o almoco, planear o jantar, fazer o almoco, fazer o jantar, por a mesa, levantar a mesa, limpar a mesa, lavar a louca, guardar a louca, lavar as roupas, estender as roupas, apanhar as roupas, dobrar as roupas, passar a ferro as roupas, guardar as roupas, ir as compras do supermercado, preocuparmo-nos com as contas da luz, do gaz, da agua, da renda, dos seguros da casa e do carro, dos anos da sogra e do sogro e dos primos e dos tios...

Ainda assim, somos seres humanos.

E, como tal, nao nos dando como satisfeitas, queremos ser maes!

A juntar a lista acima (nao fosse eu a miuda das listas!) vamos entao acrescentar mais uns afazeres. Coisa pouca. Que nos mulheres e maes, nao fazemos por menos, e afinal e tudo a grande. Ate as listas...

Vamos adicionar uns anitos de noites mal dormidas, de biberoes para lavar, de leite para tirar, de sopinhas e papinhas para fazer e aprender, de fraldas para trocar, de roupas para vestir e... despir, de banhos para dar, que nao o nosso proprio banho! Sim, porque, depois disto tudo para fazer, o que nao sobra e mesmo tempo para a porra de um duche de 5 minutos. E nao ha ca esticar o cabelo, nao va la, o barulho do secador, a uma da manha ainda acaba por acordar o bebe. E la se vai mais uma noite...ou umas horas, ja que daqui a uma horita, ele acorda para mais um leitinho. 

E depois acham coisa de ricos....isto de depressao pos-parto.

Ufa!!! que so de pensar nisto tudo fiquei exausta.....

Pensem nisto....sim???

Beijinhos de Mim.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:19

Segunda-feira, 02.09.13

Tudo ao contrario!

Estava eu a ver uma reportagem na televisao, este fim de semana, quando falaram da Irlanda. Falaram do frio e da chuva intensa. Falaram, tambem, do facto de se conduzir do lado oposto, ao que nos, portugueses, estamos habituados. Quer no veiculo, quer na estrada.

Dizia o jornalista, que depois de uns espelhos exteriores arranhados, no carro dele e no dos outros, la foi conseguindo conduzir. ihihihihihihi

Esta e realmente, mais uma daquelas coisas, que ao final de quase 8 anos, ja nem nos lembramos que para o comum do portugues, isto pode ser uma curiosidade. Nunca me tinha lembrado de referir isso, aqui neste blog, tal ja e a normalidade com que enfrentamos este desafio, hoje em dia.

So nos damos conta que conduzimos a direita e pela direita em 3 ocasioes no ano.

A primeira, quando recebemos, algum familiar ou amigo. Em pleno parque, no aeroporto, vao direitinhos ao ''nosso'' lugar de condutor. A gargalhada e imediata. ihihihihh A segunda ocasiao, quando vamos de ferias. Quase sempre ao sairmos da garagem de casa ou do rent a car, entramos em contra mao!!! A terceira quando regressamos de ferias, nos primeiros minutos. Sentamo-nos no carro e tentamos puxar o cinto de seguranca do lado oposto....ihihihiih

Trengos???? Nao!!!

Agora, ja percebemos que o cerebro precisa de se adaptar! Nao e automatico, pelo contrario! Posso dizer que ate considero bastante perigoso!!!!

Lembro-me, do dia, 10 de Setembro de 2005, quando chegamos a Ilha, no Fiat Punto verde, as 10/ 11 horas da manha. Mal saimos do barco, entrei IMEDIATAMENTE em contra a mao, claro!!!

Este foi o nosso primeiro desafio!!!

Lembro-me de ter entrado em contra a mao, uma segunda vez na Ilha. Parei o carro em cima de um passeio, porque entrei em panico momentaneo. Tentei acalmar-me e so depois corrigi o erro e segui viagem.

Ainda hoje, em Portugal, ha momentos em que entro em panico momentaneo. Se tenho um carro a minha frente, optimo. Sigo-o e pronto. Mas ha momentos, como o de entrar em rotundas, em zonas, em que o movimento e nulo, em que ainda fico nervosa. Ha momentos que por segundos, nao consigo perceber se estou em Portugal ou na Irlanda, e a mente faz questao de me pregar umas partidas. Aqui e ali ainda me acontece. Acho isso perigoso, para ser muito sincera. Mas e algo que tenho que saber lidar e mais nada. Nao ha nada a fazer. Acho.

As vezes, penso que os meus amigos nem se lembram que temos estes desafios constantes na nossa vida, no nosso dia a dia. As vezes, nem nos nos lembramos. Ja o temos como sendo algo natural na nossa vida.

Nao pensem que so me acontece a mim...ao maridao tambem acontece.

Uma situacao engracada e tentarem imaginar, aqui a vossa amiguinha a conduzir sozinha, e tentar entrar num parque de estacionamento automatico, em que a cancela e o ticket, estao do lado contrario ao do carro que conduzia no inicio aqui na Iralnda. Era o meu ''bolinhas'' verde. Com o volante, do lado esquerdo, como voces estao habituados.

Pois.....ja estao a imaginar??? E os carros atras????? ihihihihi

Uma eternidade.....ihihihihihi

Parar o carro, sair do carro, dar a volta ao carro, carregar na tecla, tirar ticket, dar a volta ao carro, entar no carro , sentar no carro, arrancar com o carro......ahahahahahahah

Que filme!!!!

Tipico de um Mr. Bean no seu melhor!!

Volante ao contarrio, manete de velocidades ao contario, sinto de seguranca ao contrario, estradas com conducao ao contario, entada nas rotundas com conducao ao contrario, cruzamentos ao contrario...um verdadeiro desafio a nossa mente!

Pensem nisso.....ihihihih

Beijinhos de Mim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:36

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930