Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diario de uma emigrante

Um blog, de auto-ajuda, criado para partilhar a minha experiencia de vida e o meu dia-a-dia. Contado na primeira pessoa, enquanto emigrante, na Republica da Irlanda, desde 2005.



Sexta-feira, 16.08.13

Carta aberta a uma Amiga

Amiga:

 

Tambem, tu, hoje, deixaste-me a pensar muito. E, tambem, eu ponderei antes de te escrever, esta carta aberta (afinal, ate parece que esta na moda!).

Faco questao, que outros, meus amigos tenham a nocao do que representas para mim, independentemente do futuro.

Acredito que os verdadeiros amigos, nos provocam sensacoes unicas e variadas.

Acredito que aprendemos realmente e evoliumos com eles, normalmente para sermos seres humanos melhores.

Acredito que apenas com a partilha das nossas vidas, e de quem nos somos, uns com os outros, podemos ambicionar elevarmo-nos ao patamar seguinte, na evolucao interior de cada um de nos.

Hoje fiquei profundamente triste e magoada.

Nao me lembro de pedires nada, nunca, no pouco tempo que nos conhecemos, apesar da intensidade do que vivemos.

Nao acredito, sequer, que es do tipo de pessoa, de pedir o que quer que fosse para ti, de animo leve.

E hoje pediste, e nem sequer era para ti ou para os teus.

Pediste, tenho a certeza que depois de muito ponderar, para os teus amigos ajudarem, economicamente,um menino- o Samuel. Com o objectivo unico, desses pais procurarem ajuda medica, alternativas, no estrangeiro. 

Quem me conhece, sabe que numa situacao, normal, eu daria o mais que pudesse.

Como dou tantas e tantas vezes, a tantos e quase sempre no silencio, no anonimato.

Nao o faco, nem nunca o fiz por vaidade ou protagonismo.

Detesto isso!

Ja dei a ajuda que podia, para os pais do Samuel.

Quando foi pedida a ajuda para manter ambos os pais deste menino, ao pe dele...ate ao fim!!

Nunca dei ao Rodrigo, pela mesma razao que nao posso dar agora.

Eu!!!

Eu SINTO o que esta reservado para eles, pais e filhos. Com todas as tristezas e alegrias que isso me traz.

Tristeza como no caso do Rodrigo e do Samuel.

Alegria como no caso da Mimi.

Consegues imaginar a minha amargura?

Lembro-me, (ainda me acontece isso) de ver um dinaussauro e uma capa de edredon com o mesmo tema, e ficar tentada a comprar e enviar para o Rodrigo. Mas nunca o fiz. Era so a lembranca de que ele adorava dinaussauros, como o meu J.P.. Tenho livros e livros sobre dinaussauros.

Racionalmente sabia, SENTIA melhor dizendo, que ele nao se iria gozar dele. Que ia ser mais uma daquelas coisas a que a mae se iria agarrar para chorar a sua morte. Quase que a conseguia ver agarrada a todos os presentes que as pessoas foram mandando.

Espero que estes pais, nem nunhuns outros, se apercebam, do que estou aqui a dizer.

Tenho a nocao da seriedade do que digo.

Nao, nao sinto isso com toda a gente, nem sempre. So com alguns.

Uns pelos bons motivos, outros pelos menos bons.

Todos nos vamos morrer. E inevitavel.

Vou aqui, pela primeira vez, assumir, para quase todos os meus amigos, que sou uma seguidora mais da doutrina espirita do que da religiao catolica.

Para mim a linha entre as duas e muito tenue. Mas isso sou so eu que acho, presumo.

Se somos todos filhos de Deus,( e julgo que ja aqui falei sobre esta minha visao do mundo) nao e a morte de uma crianca, de um adulto ou de um idoso, que interessa, neste mundo, mas a capacidade de superar, lidar, aceitar, crescer, com tamanha perda, por cada um de nos.

Esse, para mim, e o verdadeiro significado da vida- crescer interiormente com os obstaculos que a vida nos propoe, uma delas e a aceitacao e a fe na morte.

So assim o mundo me faz sentido. So assim a nossa existencia efemera me faz sentido.

Conhecemo-nos atraves da Mimi.

Talvez seja dificilimo para alguns acreditar, que nunca nos vimos pessoalmente.

Tens me apioado a 200% neste meu blog. Mais do que qualquer um podera imaginar.

Sabes do meu sonho de escrever um livro. Sabes que ja esteve mais longe de acontecer. Percebeste rapidamente que os comentarios aqui deixados, sao tudo o que preciso, de todos os que leem este blog. Nao no facebook.

Vejo-o como uma possivel porta para uma editora me contactar. Percebeste isso, quando quase ninguem percebeu, isso, ainda.

Temos conversas de puro desabafo e foste tu que me aguentaste firme, dia apos dia, antes de eu ir de ferias, quando estava um farrapo, e so alguns sabiam, do quanto farrapo estava.

Recebeste-me na tua vida, na pura merda, em que a minha estava.

E quando me pedes algo, nao consigo retribuir...

Desculpa.

E me particularmente facil, colocar na pele dos outros. Mesmo aqueles que cortei da minha lista, a da famosa lista, da dieta das pessoas.

Mas entendo que seja quase impossivel para quem nao SENTE o mesmo que eu, entender-me.

Nao procuro, assim, pela tua compreensao. Procuro a tua solidariedade, para nao me julgares. Porque tambem descobri, que e tao facil julgar os outros, mesmo nao dispondo de todas as informacoes e vivencias. Tento assim nao julgar, ninguem. Aprendi isto ha muito pouco tempo. Indirectamente, foi a Mimi que me ensinou, esta licao.

Tenho a agradecer-te por tudo o que tens sido na minha vida.

Independentemente do que eu represento na tua.

Tu ensinaste-me que havia na vida, amigos de varios tipos, cores, tamanhos e feitios.

Foste tu, sabias?

Indirectamente ou nao. Nao interessa.

Em pouco tempo, percebeste-me e soubeste-me'' ler'' muito facilmente, como se isso fosse facil. ihihihih

Respeitaste-me sempre, apesar de nao acreditares no Tarot, por exemplo. Sempre falamos disso abertamente sem qualquer tipo de tabu.

Mas respeitaste-me sempre, quando te falei pela primeira vez, do que SENTIA, sobre o Rodrigo, sobre o Samuel, sobre a Mimi e sobre o Ruben.

Nao es a unica que sabe...a B. tambem sabe. O maridao tambem.

Pela dificuldade de falar sobre o assunto, e-me dificil confiar em alguem sobre este meu sexto sentido.

Sabes como me sinto se pensar neste meu sexto sentido?

Sabes o filme ''extreminador'', em que um ser diferente (robot, no filme) vem do futuro, que aos olhos dos outros e igual, mas que sabe de coisas e nao pode dizer?

Porque a humanidade nao o entenderia nunca, ou ate, porque ainda nao estao preparados para entender, ou ate mesmo porque muitas coisas nao valem a pena serem ditas, porque o futuro vai acontecer, de qualquer das formas?????

E assim que me sinto. Sozinha muitas vezes.

Assisto as ''coincidencias'' acontecerem a toda a hora.

Ainda ontem, o meu blog dos iogurtes, por exemplo. Sabia la eu, que o jumbo tinha iogurteiras, em promocao, a 14.95 euros...quando elas custam o dobro.

Mas a verdade e que estava a ajudar varias pessoas ao mesmo tempo. Uma colega com as receitas que coloquei e outra que nao conheco e nem faz ideia de que EU lhe oferecerei uma iogurteira. Fora aquelas que nem sei que ajudo, ao lerem este blog.

Quando soube que ia poupar 15 euros foi para mim, por si so , receber em dobro. Ainda por cima a de 7 potinhos, a minha preferida.

Ha coisas a acontecerem na minha vida, Amiga, que tambem sao estranhas para mim.

As vezes, penso que sou capaz de ir mais alem, do que a moiria das pessoas ao meu redor.

Nao me intrepetes mal, nao e estar armada em convencida.....e recear o que sinto!

E ter que me calar muitas vezes, com medo das reaccoes, dos meus proprios amigos e familiares. Aqueles que e suposto estarem la para mim. Mas que TU me ensinaste, a que ha amigos proprios para tudo. Por isso, ainda so vou tendo a B. para me abrir completamente. Porque ela sabe que quando eu digo, espero estar enganada, eu espero mesmo estar enganada.

E em relacao aqueles meninos....sempre te disse, o que sinto.

DESCULPA-ME, se nao posso ajudar os pais do Samuel, a contarem com o meu dinheiro, para levarem o seu menino para o estrangeiro.

Espero que eles nunca leiam este blog!

Ou esta carta aberta a uma Amiga!

Beijinhos de Mim.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:47

Quinta-feira, 15.08.13

Um pedido especial!

Quando comento que faco iogurtes nas minhas 2 iogurteiras, como em tudo o resto, nao exagero, nem digo para ficar bem ou ''bonito na fotografia''.

Sendo assim, hoje resolvi, entao, partilhar algumas receitas, de iogurtes, nas ditas Iogurteiras.

Uma iogurteira pode ser de 6 ou 7 copos. Eu tenho uma de cada. Pelo menos nao conheco de mais.

Uma e de tapar os copinhos durante as 12 horas de cozedura, a outra nao.

Podemos e devemos usar um (no meu caso dois!) dos copinhos para fazer novas rodadas de iogurtes. Quero acrescentar que se pode utilizar um dos copinhos de iogurte da propria iogurteira, ate a decima vez.

Confesso que nunca testei. Nao vou para alem de uma reutilizacao. Paranoias, va se la entender!!!

Compro um iogurte natural de 500g, no Lidl (eu e o Lidl...ihihi), porque me sai mais em conta do que comprar 2 pequenos e uso-o para as 2 iogurteiras com os 1,850 litros de leite e acrescento 10 colheres de sopa, rasas de acucar. Mexo muito bem.

Com estas quantidades faco 13 iogurtes naturais acucarados.

Se nao colocar o acucar, entao coloco os 2 litros de leite.

Ca em casa preferimos acucarados.

Aconselho a nao colocarem acucar, se estiverem a fazer para bebes.

A minha proxima aventura, neste campo, sera experimentar fazer, so numa iogurteira, com leite de soja  (para evitar o gasto, no caso de nao gostar).

Estou mais que convencida que o leite de vaca e prejudicial a nossa saude. Mas com os habitos do 3 mosqueteiros ja criados, agora torna-se mais dificil, fazer mudancas.

Mas nao desisti e vou tentar o leite de soja. Ate porque ha varios e de varias marcas. E acucarados ou nao.

Mas uma coisa de cada vez!!!

De qualquer das formas, e voltando um pouco atras, esta e a receita de iogurtes que sigo. Desta forma, posso dar aos meninos o iogurte natural (acucarado ou nao) simples, podendo, tambem, se quiser, adicionar fruta (em pedacos, ralada ou cozida), cereais diversos, bolacha maria ou outra (partida ou ralada) ou ate mesmo Nesquick com sabor a chocolate ou morango. 

Isto tudo, depois de ja terem ido ao frigorifico pelo menos as 2 horas e estarem assim, prontos a servir.

De tempos a tempos acrescento ao leite uma colher de sopa de essencia NATURAL de baunilha, limao,etc... Que presumo que podem adquirir num supermercado qualquer, na seccao, dos bolos.  

Podem tambem acrescentar uma colher, de sopa, de leite em po, aquando da preparacao dos iogurtes. Da-lhe uma extra cremosidade, que eu pessoalmente, nao consigo ver a diferenca, mesmo ja tenha colocando mais do que uma colher do leite em po (para testar). 

Ha porem 2 ''truques'' que aprendi, a semana passada, na minha pesquisa por iogurtes de Soja.

Que o leite se for amornado, a iogurteira so precisara de 8 a 10 horas e nao das 12 horas normalmente requeridas e que se pode substituir o leite em po, por cerelac.

Confesso que ainda nao experimentei, mas estou deveras empolgada com a ideia!

Se alguem experimentar primeiro, digam-me os resultados que obtiveram, por favor.

Fazerem iogurtes caseiros, e mais do que poupar. E sem duvida mais saudavel.

Para mim e para o T. e tambem, tempo passados juntos, na cozinha, que ele tanto adora.

Adora fazer iogurtes e gelatinas e bolos com a mama. ihihihih

Vou ter um filho cheff. ihihihihihi

Aprende a mexer e a verter os iogurtes e o leite.

Aprende a contar as colheres de acucar ou de farinha.

E uma forma de aprender muito divertida, principalmente no Inverno.

A avo e que o incentivou com os Bolos dos 3 minutos no microondas.

Ele ainda nao tinha 2 anos!

A avo veio para me ajudar nos ultimos meses da minha gravidez do R..

Para o entreter, em pleno meses de Inverno (Novembro, Dezembro e Janeiro) foram fazendo uns bolos, para o papa comer com o cafe, a noite, depois de chegar do trabalho.

Quando o maridao ainda trabalhava 12 horas por dia, por turnos. Das 10 horas da manha as 10 horas da noite. Chegava a casa quase as 11 horas da noite.

Recomendo que se tiverem criancas e fizerem iogurtes, deixem-nas participar.

Beijinhos de Mim.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 13:31

Quarta-feira, 14.08.13

Uma questao de mentalidades!

Contratamos uma babysitter.

Chama-se Paula. Ate no nome tivemos sorte.

Primeiro porque e um nome que nao da para errar, quer chamemos, com pronuncia portuguesa ou inglesa. ihihihih

Depois porque e um nome facil para o T. chamar, devido aos seus problemas da fala.

Mas como o meu irmao e Paulo, ele ja estava habituado ao nome.

A menina tem 15 anos e e irma de uma coleguinha (mais nova) do J.P.

Foi uma feliz coincidencia (ou nao!) visto ter sido, uma senhora irlandesa, muito simpatica, que ma indicou.

Deu-me o numero da mae. E liguei-lhe a pedir para falar com ambas pessoalmente, ca em casa.

Quando chegaram, a Sra. reconheceu, de imediato, o J.P., da escola da filha mais nova. E fez logo questao de mencionar que sabia quem era o meu marido. Uma vez que se lembrava de ele ir levar e buscar o J.P., na escola primaria.

Demonstrou um alivio, que para ser sincera ate me surprendeu. Talvez, porque saber que nao estava com completos estranhos a deixou mais tranquila. Presumo.

Comecei por lhe explicar, que ela nao teria que tomar conta do J.P. Mas que ele seria a ponte que ela precisaria para entender e falar com os bebes.

Ao J.P. expliquei-lhe que ela seria a ajuda que ele precisaria para tomar conta dos irmaos. Isto na presenca da mae e filha. Tudo em Ingles.

Foi a forma, a meu ver genial, que encontrei de colocar a ''questao'' chamada J.P.

Ja sabia que ela tinha experiencia em tomar conta de 4 meninas.

Expliquei-lhe que seria por 2 horas ( das 19 as 21 horas) todas as Sextas- feiras. Perguntei-lhe quanto me cobraria.

Tudo acertado.

Mas havia um pequeno problema, que foi o iniciar da conversa entre mim, a mae e a Paula.

As mentalidades.

O facto do J.P. ter 14 anos e a Paula 15.

Nao queria que existisse um conflito cultural e eu fazia de questao de esclarecer esta situacao.

Tenho uma primita de 15 anos, tambem.

Este ano, nao fui a aldeia e sabia que nao iria. Por isso, pedi que deixassem vir a menina, passar uma semana, ao Porto.

Nao a deixaram.

Todos os anos estao juntos, nas ferias grandes.

Alegadamente, tinham medo que alguma coisa pudesse acontecer entre os dois. Claro que situacoes destas acontecem, e nao vamos negar esse facto. Mas tambem podem acontecer com outros meninos (no caso dela) e com outras meninas (no caso dele).

Tendo eu assistido a este tipo de mentalidade, nao queria mal entendidos, com a Mae da menina!

Perguntei-lhe entao o que achava de estarem os dois, SOZINHOS, na mesma casa, por 2 horas, todas as semanas.

Esta Mae, direcionou o seu olhar, para a filha e perguntou-lhe:

-''O que dizes Paula? Sentes-te confortavel, com a situacao?''

-''Eu sinto!''

-''Pronto, Carla. Aqui tem a minha resposta.''

Aprendi mais naquele minuto, do que talvez muitos dos meus familiares e amigos nunca cheguem a aprender.

Aquela mae, confiava no julgamento e nas atitudes da filha!!!

Eu tinha acabado de ter uma enorme garantia de que os meus 3 filhos iriam estar bem entregues.

Como era a primeira vez, ficamos os primeiros 20 minutos.

Em seguida, foram os 4 brincar para o jardim.

Avisamos os dois: J.P. e Paula.

Saimos.

Tinhamos avisado que iamos so a praia, ao pe de casa. Sao uns 3/4 minutos de carro. Se fosse necessario, voltariamos, num abrir e fechar de olhos.

As 20:00 horas ligamos para ver como estavam... todos.

-''Carla, NAO houve choros!''- fez questao de me dizer a Paula.

As 21:00 chegamos.

Tinha sido maravilhosa, aquela hora e meia!

Eu e o maridao passeamos e namoramos na praia. Sentamo-nos na areia. Conversamos sobre tudo. Ficamos tambem, em silencio e abracados, a olhar para o mar. Foi relaxante. Foi OPTIMO!!!

Quando chegamos, estavam ja os bebes a janela, a nossa espera. Desceram do sofa e correram para a porta. Receberam aquele xi- coracao, como so a mae e o pai sabem dar.

Depois, foi a vez do J.P. e da Paula dizerem como correu tudo bem.

Foram novamente os 4 para o jardim.

A mae da Paula veio busca-la, tal como ja a tinha vindo trazer.

Fez questao, que assim fosse!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 13:35

Terça-feira, 13.08.13

Fim de semana de 10 de Agosto!

Depois de ter tirado um dia da semana passada, para cozer o grao de bico, fazer as gelatinas e os iogurtes, hoje foi dia de fazer um tachinho de arroz para colocar em pequenos recipientes e congelar. Aproveitei que o T. dormiu por 3 horas e pus a sopa do maridao e dos meninos, tambem, a fazer.

Desta forma, quando nao tiver nada do dia anterior para os bebes, 5 minutos no microondas e tenho um arroz como que acabadinho de fazer.

De forma geral tento ser muito pratica na cozinha, apesar de ter sido um gosto adquirido aqui na Irlanda.

O Jamie Oliver e a Nigella, em especial, sao os dois cozinheiros responsaveis por esse meu gosto adquirido.

Mas sou fiel a minha forma e maneira de cozinhar. Desisti muito cedo de copiar a risca. Nao me saia bem...faltava aquele toque. Depois percebi, o meu toque.

Claro que com os miudos e muito complicado, hoje em dia.

Hoje foi um dia muito importante para nos, como familia. Mas em especial para o T..

Hoje iniciou a sua terapia da fala na Irlanda.

A proxima consulta so sera daqui a 2 meses. Uma vez que ele nao tem qualquer contacto com o Ingles ou Irlandes.

O proximo passo e ver que tipo de sons ele aprendeu na Pre-escola e com a Paula.

A Paula e a babysitter que contratamos.

A Pre-escola comeca dia 26 de Agosto.

O meu bebe de 3 anos, sem qualquer palavra de Ingles, vai pela primeira vez, de mochilinha as costas.

La dentro vao uma muda de roupa, um lanchinho, um caderno liso para os desenhos e umas galochas, que ficarao na pre-escola.

Sim, perceberam bem, umas GALOCHAS!!!

Aqui e super normal a venda de galochas para todas as idades. Muito variadas e coloridas, ou nao.

Tao normal como sapatilhas. 

Imagine-se porque....ihihih

A Pre-escola tem actividades ao ar livre. Por isso e pedido umas galochas para ficarem la, tal como um casaco para a chuva.

Nas escolas primarias pequenas, os alunos tem de levar...CHINELOS!!!

As escolas sao alcatifadas, por causa do frio. As alcatifas tornam-nas mais acolhedoras e quentes. Os chinelos sao, assim, uma forma de as conservarem limpas.

Na hora do recreio, as criancas mudam para o calcado que trazem de casa.

Aposto que muitos de vos nao faziam a minima ideia. Estou certa?

Ha pequenas coisas do nosso dia a dia, que ja se tornaram tao normais, que ja nao percebemos, que para qualquer portugues que nao esteja emigrado, e muito estranho. Tal como foi para nos, no inicio.

Mas ja la vao quase 8 anos.

E quando ontem, depois de jantar, fomos passear a praia, senti pela primeira vez, que as coisas estao a mudar.

Que esta, e, afinal, a minha vida. E que nao trocava aquele momento por nada.

O acabar de jantar, arrumar a cozinha e ir a praia com o maridao e os meninos. Os 5 em familia.

Qual cafe, qual que. Qual centro comercial qual que.

E desde que vim de ferias as pequenas mudancas ja se fizeram sentir.

Estao a fazer efeito.

Sei que o fim de semana tambem contribuiu para isso.

Tivemos um ''Churrasco de Verao para a Familia'', num Hotel.

Dia 10 de Agosto, sabado. ihihihih

Foi o ''Summer Family Barbecue'' pela empresa do maridao. Era para toda a familia.

Sem ninguem saber, foi a nossa festa de 17 aniversario de casamento.

Ate nisto, nao acredito que foi uma coincidencia. Foi um miminho de Deus, para mim, para nos.

E foi tao bom!!! Mesmo com a minha timidez.

Mesmo sem saber muito bem o que vestir para um churrasco, num hotel de 4 ou 5 estrelas.

Estamos a falar na Irlanda. Em que as mulheres gastam rios de dinheiro em vestidos e maquilhagem e sapatos e carteiras e depilacoes e cabeleireiros e....meu Deus!!!

Que nervosa fiquei. Mas o meu segredo e sempre seguir o meu instinto e sentir-me bem com o que acabo por escolher.

Vi umas ideias na net. Mas acabei por levar um vestido azulmarinho (meio desportivo) de 19.90 euros que tinha comprado na Zara, do Algarve Shopping.

Levei umas pulseiras, como me disse a minha mae, e bem.ihihih

Um relogio dourado que tenho a condizer com as ditas pulseiras. E um colar que tenho ha uns 4 anos da Parfois, nos mesmos tons dourados.

Calcei umas sandalias de rampa castanhas. Fiz a depilacao em casa, tal como a manicure e a pedicure.

Arranjei o cabelo e maquilhei-me.

Nao gastei um tostao!

E sabem que mais, senti-me lindissima a custo zero!!! ihihihihihihih

Beijinhos de mim.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 17:29

Sexta-feira, 09.08.13

Eu tenho-te!!!

Entraste na minha vida, no dia 17 de Abril, ha 18 anos atras.

Amanha, fazermos 17 anos de casados, e so no papel.

Lembro-me do nosso primeiro beijo. Lembro-me do banco de jardim. Lembro-me dos baloicos. Lembro-me do teu polo azulmarinho e dos teus jeans.

Lembro-me de quase tudo.

Aposto que ninguem fazia ideia que foste tu que criaste este blog, para mim. Eu so lhe dei o nome.

Fizeste-me um so pedido. Que eu nunca escrevesse sobre ti. E tento. Sabes que sim. Mas hoje tenho que escrever sobre o que eu sinto por ti. Inevitavelmente poderei escrever sobre ti. Mas e sobre o que sinto por ti, que quero escrever.

Eu tambem, te fiz um pedido. Que o lesses...

Mas tu fazes mais, sempre mais do que te pedi. 

Tu les. Criticas. Motivas. Sugeres.

E assim que tem sido, nos ultimos 18 anos. Das sempre mais, do que peco.

Tu completas-me.

Tu ensinas-me.

Tu apoias-me.

Tu ouves-me. 

Sei que me amas. Mas nunca te ficas por ai. Vais mais alem. Sempre mais alem.

Amar facilmente se ama. Todos amam.

O que nos temos vai para alem do amor.

Que por si so e demasiado complexo, mas demasiadamente simples, para o que temos.

Temos algo que ainda esta por apelidar.

Nao e paixao. Essa aparece e desaparece, como uma noite de tempestade.

Nao e amor. Esse e demasiado simples, como a complexidade da vida.

Nos temo-nos!!!

E e assim que te sinto.

Eu tenho-te!!!

Sei que te tenho por completo. Porque tu me completas.

Porque aprendemos com o tempo, a caminhar lado a lado.

A remar o barco na mais pura sincronia.

A mesma sincronia com que vivemos e olhamos a vida juntos. A passada, a presente e a futura.

Estas em mim!!!

Como se fosses uma segunda, leve e suave camada da minha pele.

Sinto-te em mim!!!

Como aquela chuva quando cai directamente no meu corpo. Que me causa sensacoes de suores frios, misturados com uma estranha sensacao de profundo contacto comigo mesma e com a minha propria existencia. Talvez porque tu me fazes existir em pleno e completa.

E tenho-te em mim, mesmo quando sais para o trabalho todas as manhas, e passo o dia (com os nossos 3 mosqueteiros!) sempre na ansiedade de te ter de volta, ao final do dia. E quando a hora de chegares, se aproxima, sinto o meu coracao bater mais rapido, so pelo facto de te rever. E juro-te, que sinto isto todos os dias!

Porque te adoro!

Porque te tenho!

Se morresses, podia continuar a amar-te, mas nao te tinha.

Mas eu tenho-te, por isso, o que temos e mais do que o proprio amor.

Adoro as nossas conversas. E conversamos tanto.

Adoro quando choras. E ja choraste. E choramos os dois. E ja choraste por mim.

Adoro como me fazes sentir amada.

Adoro quando me abracas e beijas repentinamente, bem no meio da minha confusao quando estou a preparar o jantar.

Mas tu... queres la saber de jantar. E naquele momento, fico tao irritada, porque o tacho transborda e a serta queima.

Mas tu amas-me, exatamente naquele momento.

No meio da minha confusao, seja na cozinha ou na vida, tu amas-me, sempre.

O que temos, nao pode ser so amor. Nao pode.

Inacreditavelmente e inexplicavelmente, este sentimento cresce a cada dia, que passa.

Tu sabes disso.

E nao consigo perceber racionalmente como e possivel, continuar a crescer. Porque cresce e cresce, cada vez mais.

Sinto que o meu peito doi, de cada vez que penso em ti. Acredito que e por seres mais do que a capacidade que tenho para te ter em mim.

Porque penso em ti, quando nao estas. Quando estas...tenho-te! E pronto!

O que sinto por ti, nao cabe dentro do meu peito.

As vezes, basta-me olhar para os meninos. Por algum motivo, que ainda nao consigo entender, eles acalmam essa dor, de tamanho sentimento. 

Outras, como hoje, preciso de colocar para fora.

Perdoa-me!!!

 

Para ti...AMQM.  

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:05

Quinta-feira, 08.08.13

''Oh Toooooo''

Estou feliz e serena!

O J.P. tem melhorado, ainda falta um pouco para chegar ao seu melhor...mas esta quase lá.

E isso, acreditem, e um alivio!

Sei que há muitos amigos que sabem um pouco do que falo, e sei também que há aqueles, que não fazem a mínima ideia do que estou a falar. Porque não sabem, nem conhecem o J.P. e os seus ''problemas''.

Antigamente, rotulavam-se as pessoas de uma forma; agora rotulam-se, na mesma. Só com diferentes nomes! Nada mudou, aparentemente. Há aqui, na Ilha, esforços notórios, por parte dos médicos e hospitais, para uma tentativa real, de melhorar a vida de crianças e pais, que tenham filhos com os mesmos ''problemas'', que o J.P. Mas em Portugal, não. Ainda não, infelizmente!

Mas isto foi só um pequeno esclarecimento, pois apesar de não gostar de falar sobre o assunto, aos poucos e muito devagar...vamos la ver onde consigo chegar.

O R. e o T. estão óptimos!!!

E vou-me deliciando com os 3 aqui em casa, ate porque o tempo ainda vai ajudando.

O T. esta a passar uma fase super engraçada. E nos, os adultos não conseguimos parar de rir.

Ja percebeu (nao sei se conscientemente ou não, acredito que não!) que se tratar o J.P. por Joaozinho, tem quase tudo o que quer. Em especial, a sua atencao! E so isso esta a bastar para tornar a relacao deles melhor. E verdade que, as ferias, no Algarve, ja com o pai, tambem ajudaram, mas nao foram tao decisivas, como o '' Joaozinho''. Ainda por cima, quando ele nao diz a palavra, mas uma tentativa de a dizer.

'''Mor'' ou ''morzinho'' sao as outras novas palavras, para chamar a mae ou o pai, consoante quem ele quer chamar a atencao imediata. Sabe que a tem, porque o nosso sorriso e inevitavel! Imaginem la o vosso filho de 3 anos, que mal sabe ainda falar, chamar-vos de '' Oh mor...''!!! Demais.

O R. esta tambem numa fase de profundo desenvolvimento. E outro que nos faz parar, seja la o que estivermos a fazer. Literalmente. De manha, faz questao de acordar o pai e a mae. Qual despertador, qual que. Vem a correr do quarto dele, ja depois de ter descido da cama de solteiro, onde dorme ao lado da do T., e ao entrar no meu quarto, assinala a sua presenca com um ''Oh Toooooooooooo'' ! Ora nao tivesse o pai que ir trabalhar e o despertador esquecer-se de fazer o seu trabalho!

Hoje de manha, ainda fez questao de me avisar, logo depois de ter subido para a minha cama. Mama...coco! E como disse, faz-nos literalmente parar de fazer, o que quer que estivessemos a fazer, e com isto, digo dormir. ihihihihihh

E como um amigo meu ''postou'' no seu facebook, ha pessoas que sao tao pobres, tao pobres, que so tem dinheiro; eu sou tao rica, tao rica, que so me falta....estar em Portugal!!!

Tudo o resto vou tendo, ate o sol e o bom tempo!ihihihihihi

 

PS.Ate amanha, que ja sei o que vou escrever....;)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 14:32

Terça-feira, 06.08.13

Aprender sozinha

Este ano as coisas estao a sair do ''normal''e o tempo, aqui na Ilha, esta melhor, muito melhor, quando comparado, com os ultimos anos.

Ainda bem.

O tempo, la fora, faz uma diferenca enorme, na minha vida. E nao, nao me canso de o dizer. Ao longo do tempo, percebo cada vez mais e melhor que e mais dificil estar aqui sem o sol, do que sem amigos.

Amigos eu tenho. Todos os dias. Nao posso e ir tomar um cafezinho ou ir ao Ikea (dar prazer aos olhos e a imaginacao!) sempre que me apetece.

Nao posso ir a casa deles quando me convidam para um Licor Beirao (com gelo, note-se!) ou uma Ginginha num copinho de chocolate.

Mas sei que os tenho. E isso vai fazendo, as vezes, melhor a alma, porque e bom ter amigos; outras vezes, e pior porque sei que a distancia impede o contacto fisico. E este tambem e importante, ainda que as vezes, nem o valorizemos.

Uma vida vazia de afectos, e sem duvida, triste e solitaria.

Mas triste e solitaria vou me sentindo cada vez menos.

Cada vez mais, os amigos vao estando na minha vida. Vou sabendo melhor aceitar as diferencas de cada um, e com isto, aceitar que ha amigos diversos e para todas as ocasioes.

Pode parecer tolice, mas nao e. Para mim nao e.

Durante muito tempo queria ter amigos que estivessem la, sempre para mim. Como eu estava para eles. Nao tiinha a capacidade de perceber que os amigos vem e devem vir depois da familia, dos filhos, do marido. Porque eu os punha em primeiro lugar e exigia o mesmo. Estava errada, muito errada.

Mas esse meu erro devia-se a uma procura de aceitacao constante. Sempre procurava de agradar para ser aceite. Agradar e ser Aceite!!!

Uma procura de ser aceite, pois talvez eu nao me aceitasse como sempre o deveria ter feito.

E quanto mais me aceito, com as minhas qualidades e defeitos, mais e melhor, aceito as diferencas dos outros e nos outros.

E sinto que ainda estou a crescer enquanto ser humano. Tenho certeza que muitos dos meus amigos e amigas ja chegaram a este patamar, quase inconscientemente, ha muito tempo. Mas eu sei qual foi o meu impedimento, posso e nao partilhar aqui de uma forma clara. Mas eu sei.

Quando nao nos ensinam Ingles, por exemplo, aprender sozinha e muito, mas muito mais dificil....

Nao quer dizer que nao se aprenda, mas demora muito mais do que ter professores, independentemente de serem bons ou maus.

Mas aprender sozinha pode ter coisas muito boas. A auto-estima sobe, mas a e preciso ter cuidado, a humildade tende a descer. E muito facil de dizer eu nao tive ninguem que me ensinasse. E mais complicado ter a humildade de perceber que foram ensinados e aprendidos outros comportamentos, outros valores. E que ninguem consegue ensinar tudo a ninguem. E que quem nao sabe Ingles, por exemplo, nao vai ensinar. Nao pode sequer ensinar algo que nao sabe o que e, e como se ensina. Gracas a Deus, consegui perceber isto tudo. E e por isto que estou grata.

Sei que tenho um longo caminho pela frente para me aceitar completamente. Mas tambem sinto que estou no bom caminho.

Sinto que sou como um bolo de noiva gigante. Com varias camadas e recheios e enfeites e sabores.

Se me quero dar ao trabalho de perceber a verdadeira maravilha e beleza do bolo (quem sou eu, afinal) nao posso comer uma fatia e ja esta. Tenho de perder tempo na prova e perceber nessa prova, cada camada, cada enfeite, cada recheio.

Caindo o risco serio de parecer convencida, sei que sou uma pessoa boa. Como o bolo. Mas preciso de gostar de mim, com todas as coisas boas e menos boas. Mas acima de tudo, aceitar-me!!! Com todas essas coisas boas e menos boas.

Esse caminho comecou ha uns 5 anos. Tem tido altos e baixos, como tudo na vida. Mas comecou e sei que estou um ser humano melhor, porque me aceito melhor. 

Desde entao, tudo tem sido melhor, na minha vida. 

ACEITAR-ME COM DEFEITOS E QUALIDADES DIVERSAS PERMITIU-ME, TAMBEM, ACEITAR QUALIDADES E DEFEITOS, DIVERSOS, NOS OUTROS! PERCEBI QUE A MUDANCA E SEMPRE DE DENTRO DE NOS PARA FORA. SEMPRE, SEMPRE, SEMPRE. FOI ASSIM QUE ENCONTREI A FELICIDADE!

Percebi que ela estava dentro de mim!

 

Beijinhos de MIM.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 13:09

Sexta-feira, 02.08.13

Uma promessa cumprida.

A UNICEF revela que 20% das mulheres e 5% - 10% dos homens afirmam ter sido vítimas de abuso sexual em crianças. É quase 15% da população mundial adulta.
''Faça ouvir a sua voz sobre a violência contra as crianças.''- Foi assim que resolvi começar a falar sobre uma Mulher que conheço e que foi vitima, em criança, de abusos sexuais continuados, por anos e anos.

Prometi a mim mesma que se um dia tivesse oportunidade faria com que a historia dela se perpetuasse num diário, num caderno, num livro, em algo que não deixasse morrer, a sua historia e a sua dor.

Não vou desenvolver muito a sua historia...hoje. Vou apenas começar.

Tinha 9 anos e 21 quilos. O meu T. tem 3 anos e pesa 18 quilos. E acreditem que de gorducho não tem nada.

Acredito que se fosse da família, de sangue, as coisas teriam terminado de outra forma. Mas não.

Eu digo graças a Deus, mas ela não. Ela ainda não consegue. Acho, alias, que nunca conseguira. Nunca.

Foi uma senhora que ela conhecia como sendo a sua avo, que denunciou o caso as autoridades competentes.

Talvez, pelo facto, de não ser família de sangue, esta senhora conseguiu perceber e ultrapassar barreiras gigantescas, como a da humilhação familiar, por exemplo.

Estamos a falar em expor, um caso de abusos sexuais de menores, há 50 anos atrás.

Não deveria ter sido nada fácil, para esta avo, mas nem por isso, se silenciou. Expos a sua família por um bem maior. O amor a estas criancas. O amor desta avo, por suas netas, fê-la nunca olhar para trás. Lutou pelas suas netas, ate as ultimas consequencias. E a bem da verdade, elas não eram sequer do seu sangue.

Esta avo, fez com que, há 50 anos atrás, um homem fosse condenado, por abusar e molestar sexualmente, as suas enteadas.

As meninas foram retiradas a mae! Esta assistia...imagine-se!

Foram, assim, colocadas em reformatórios, como se tivessem sido elas as condenadas.

Tinham direito a visitas, uma vez, por mês. Aquele homem tinha direito a visitas, na prisão, a pelo menos todas as semanas.

Não posso assegurar se foi condenado a 14 anos...mas julgo ter sido esta a sua pena. Pena que foi reduzida para 4 anos, devido as circunstancias da sua vida...

Estas meninas saíram dos colegios internos, dos reformatórios, ou casas de correcção, como lhes queiramos chamar, aos 21 anos!!!

Só nestes dados, podemos perceber que a justiça portuguesa, de há 50 anos atrás, não era assim tão diferente, daquela que temos, nos dias de hoje.

Quem afinal e que fez mal a quem?

Quem e que afinal ficou inibido de ter uma vida, dita, normal?

Aquele homem, apenas, 4 anos depois, voltou para junto da sua esposa. Da mãe destas meninas. Daquela que assistira a tudo. Mas que a sua própria vida, ironicamente ou nao, fez questão de acertar contas com ela.

As meninas, aos 21 anos, foram para familiares próximos, que as acolheram, como se não tivessem outra escolha. Porque a verdade e que não tiveram.

Falta-me esclarecer que as colocaram em diferentes colégios, reformatórios, como lhe queiram chamar. Uma em cada canto.

Do dia para a noite, estas meninas viram-se sozinhas e abandonadas, por aqueles que conheceram durante toda a sua vida.

Bons ou maus eram a sua família. E a única certeza que uma criança sabem e essa. Foram abandonadas.

Tiveram sensivelmente 10 anos, afastadas de tudo e todos. De tudo quanto conheciam. De todos os que as conheciam.

O pai biológico morrera no dia em que a mais nova fizera 10 meses.

Não tinham ninguém!

O reformatório pelo que conta uma delas, foi pior, do que ter estado numa verdadeira prisão.

-''Se tivesse numa prisão, ao menos, podia ter visitas, uma vez por semana.''- conta.

Os abusos sexuais mudaram-lhes a vida. Os abusos sexuais roubaram-lhes a vida.

Uma delas confessa que nunca fala nisso com ninguém. Mas que não há um único dia, que não se lembre do seu passado. Mas que durante o dia tenta apagar da sua memoria, o que viveu.

 

A outra nunca cresceu verdadeiramente. Nunca foi capaz de se tornar numa adulta. Os traumas foram demasiados. Independentemente da idade que tem hoje, continua a sentir-se sempre aquela menina abandonada de outrora. Sempre sentindo-se uma vitima do seu passado. Porque nunca conseguiu, também ela, uma ajuda medica, pronta e eficaz.

Hoje, uma luta contra um cancro da mama; a outra, luta contra uma depressão crónica, ou, como eu lhe chamo ''o cancro da mente''!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 22:02

Quinta-feira, 01.08.13

DEPRESSAO ''Um cancro real na nossa mente''

O meu T. agora anda nesta fase...''Puta, puta, puta, puta.........''
Depois de muito ignorar, apanhou-me num dia que devia estar trenga e disse-lhe que isso nao se dizia, e que era uma palavra ma. Que a mama as vezes dizia, mas que era, na mesma, uma palavra ma. E que sempre que a mama a dissesse ele podia chamar a atencao da mama....
Mas ele agora esta a dormir....
E se eu nao tivesse amigas tao pudicas, escrevia agora uma gigantesca palavra feia!
Depressao. Depressao. Depressao.
Estou tao cansada de ouvir falar nela....
So pelo simples facto, de que ainda ha tanto para se aprender sobre esta doenca, que para mim e como ter um cancro real na nossa mente.
E tao real como ter ou vir a ter um cancro. Qualquer pessoa pode vir a sofrer dela, inclusive criancas.
Nao escolhe sexo, idade, estrato social, nada!
Aparece de mansinho e quando damos por ela, na maioria das vezes estamos controlados. Deviamos estar mais atentos e muito mais informados, sobre a depressao. Sobre este ''cancro'' que surge nas nossas vidas e e tao malefico ou mais do que um cancro maligno.
A depressao leva muitas vezes ao suicidio. O cancro leva-nos a morte natural ou ao inves da-nos uma forca extraordinaria para lutarmos pela vida. Pela nossa vida.
A depressao mata essa extraordinaria vontade de viver, essa forca que muitos de nos sentimos naturalmente no seu dia a dia.
Ela nao da nada!!!
Tira-nos vontade de comer, ou caimos no oposto e tiramos anos de vida saudavel e enchemo-nos de comida. Ate nos acharmos consolados.
Uma falsa consolacao. Caimos tao facilmente nessa artimanha, de acharmos que encontramos console na comida, na bebida, nas drogas, etc.
Tira-nos a nocao da realidade. Entristece-nos com uma facilidade e velocidade, que me arrepia, agora que olho para traz.
Tira-nos a alegria de viver e a nocao correcta de quem somos realmente.
Leva-nos para um mundo a parte. Um mundo vazio de pessoas e cheios de sentimentos de culpa.
Precisamos desesperadamente de ajuda.
E quando pensamos em atentar contra a nossa vida ou ate dos nossos- facam-nos um favor-enternai-nos!!!
Querem ajudar?
Nao nos oicam. Arranjem um medico, um psicologo.
Eu conheco alguns muito bons. Se precisarem digam, falem!
Ninguem adivinha o que vai na cabeca de cada um de nos. Por mais que acham que conhecem a pessoa.
Lembrem-se, estas pessoas deixaram de ser pessoas e ja passaram a ser doentes. Refens no seu proprio corpo e da sua propria mente.
Falo com o conhecimento de causa.
Ja bati no fundo.
Naquele fundo em que o marido tinha que mandar tomar banho.
E ainda hoje me sinto envergonhada por isso. Mas digo e se for preciso escrevo e berro, para mostrar que nao sois as unicast ou os unicos.
Nao conseguir tartar dos filhos, da casa, do marido, de trabalhar. Nao conseguir saber o que se quer fazer ou se pode fazer para sair daquele estadio de deploravel miseria interior.
Sentir que so se quer ver televisao, para fugir a realidade, de ter que sentir, que se vive. De ter que se viver e sentir que se esta ainda viva, quando tudo em nos ja nao vive...
Querer dormir para esquecer, para fugir a realidade, mas nao conseguir. Somos atormentados com nossos pensamentos de inferioridade e negatividade. E quanto mais pensamos, mais nos sentimos a cavar a nossa sepultura. Como que o pensar seja agora o pior que pudessemos fazer. Mas e!
Precisamos assim de um medico ou mais.
Precisamos de um ombro AMIGO ou mais.
Precisamos da familia e mais, muito , muito mais.
Precisamos de medicacao.
Precisamos de exercicio fisico. De correr, caminhar.
Precisamos de uma boa alimentacao.
Precisamos de perceber que isso tem saida, porque a luz ao fundo do tunel esta tao longe.
Nao tem nada a ver com fe. Tem a ver com uma doenca fisica e psicologica grave e que quase sempre deixa mazelas.
Estou aqui...para todos os que precisarem e quiserem dar-me a mao.
Voces estao no poco...eu tambem ja la estive.
Eu sou aquela que esta ja ca fora, mas que vos esta a lancar agora a corda, para dentro do poco.
Sao voces que tem que se agarrar a ela. E subir, subir, nem que seja bem devagarinho....
Mas o merito sera sempre todo vosso.
Sempre.
E para sempre....
Da vossa sempre....AMIGA.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 15:48

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2013

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031