Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diario de uma emigrante

Um blog, de auto-ajuda, criado para partilhar a minha experiencia de vida e o meu dia-a-dia. Contado na primeira pessoa, enquanto emigrante, na Republica da Irlanda, desde 2005.



Quinta-feira, 01.08.13

DEPRESSAO ''Um cancro real na nossa mente''

O meu T. agora anda nesta fase...''Puta, puta, puta, puta.........''
Depois de muito ignorar, apanhou-me num dia que devia estar trenga e disse-lhe que isso nao se dizia, e que era uma palavra ma. Que a mama as vezes dizia, mas que era, na mesma, uma palavra ma. E que sempre que a mama a dissesse ele podia chamar a atencao da mama....
Mas ele agora esta a dormir....
E se eu nao tivesse amigas tao pudicas, escrevia agora uma gigantesca palavra feia!
Depressao. Depressao. Depressao.
Estou tao cansada de ouvir falar nela....
So pelo simples facto, de que ainda ha tanto para se aprender sobre esta doenca, que para mim e como ter um cancro real na nossa mente.
E tao real como ter ou vir a ter um cancro. Qualquer pessoa pode vir a sofrer dela, inclusive criancas.
Nao escolhe sexo, idade, estrato social, nada!
Aparece de mansinho e quando damos por ela, na maioria das vezes estamos controlados. Deviamos estar mais atentos e muito mais informados, sobre a depressao. Sobre este ''cancro'' que surge nas nossas vidas e e tao malefico ou mais do que um cancro maligno.
A depressao leva muitas vezes ao suicidio. O cancro leva-nos a morte natural ou ao inves da-nos uma forca extraordinaria para lutarmos pela vida. Pela nossa vida.
A depressao mata essa extraordinaria vontade de viver, essa forca que muitos de nos sentimos naturalmente no seu dia a dia.
Ela nao da nada!!!
Tira-nos vontade de comer, ou caimos no oposto e tiramos anos de vida saudavel e enchemo-nos de comida. Ate nos acharmos consolados.
Uma falsa consolacao. Caimos tao facilmente nessa artimanha, de acharmos que encontramos console na comida, na bebida, nas drogas, etc.
Tira-nos a nocao da realidade. Entristece-nos com uma facilidade e velocidade, que me arrepia, agora que olho para traz.
Tira-nos a alegria de viver e a nocao correcta de quem somos realmente.
Leva-nos para um mundo a parte. Um mundo vazio de pessoas e cheios de sentimentos de culpa.
Precisamos desesperadamente de ajuda.
E quando pensamos em atentar contra a nossa vida ou ate dos nossos- facam-nos um favor-enternai-nos!!!
Querem ajudar?
Nao nos oicam. Arranjem um medico, um psicologo.
Eu conheco alguns muito bons. Se precisarem digam, falem!
Ninguem adivinha o que vai na cabeca de cada um de nos. Por mais que acham que conhecem a pessoa.
Lembrem-se, estas pessoas deixaram de ser pessoas e ja passaram a ser doentes. Refens no seu proprio corpo e da sua propria mente.
Falo com o conhecimento de causa.
Ja bati no fundo.
Naquele fundo em que o marido tinha que mandar tomar banho.
E ainda hoje me sinto envergonhada por isso. Mas digo e se for preciso escrevo e berro, para mostrar que nao sois as unicast ou os unicos.
Nao conseguir tartar dos filhos, da casa, do marido, de trabalhar. Nao conseguir saber o que se quer fazer ou se pode fazer para sair daquele estadio de deploravel miseria interior.
Sentir que so se quer ver televisao, para fugir a realidade, de ter que sentir, que se vive. De ter que se viver e sentir que se esta ainda viva, quando tudo em nos ja nao vive...
Querer dormir para esquecer, para fugir a realidade, mas nao conseguir. Somos atormentados com nossos pensamentos de inferioridade e negatividade. E quanto mais pensamos, mais nos sentimos a cavar a nossa sepultura. Como que o pensar seja agora o pior que pudessemos fazer. Mas e!
Precisamos assim de um medico ou mais.
Precisamos de um ombro AMIGO ou mais.
Precisamos da familia e mais, muito , muito mais.
Precisamos de medicacao.
Precisamos de exercicio fisico. De correr, caminhar.
Precisamos de uma boa alimentacao.
Precisamos de perceber que isso tem saida, porque a luz ao fundo do tunel esta tao longe.
Nao tem nada a ver com fe. Tem a ver com uma doenca fisica e psicologica grave e que quase sempre deixa mazelas.
Estou aqui...para todos os que precisarem e quiserem dar-me a mao.
Voces estao no poco...eu tambem ja la estive.
Eu sou aquela que esta ja ca fora, mas que vos esta a lancar agora a corda, para dentro do poco.
Sao voces que tem que se agarrar a ela. E subir, subir, nem que seja bem devagarinho....
Mas o merito sera sempre todo vosso.
Sempre.
E para sempre....
Da vossa sempre....AMIGA.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Diario de uma emigrante às 15:48


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2013

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031